Blog

A nova e mais verde Paris

Por toda Paris, as ruas tem sido escavadas e divididas, e antigos pavimentos dando espaço a quilômetros de ciclovias. Uma grande rodovia urbana foi fechada para carros e entregue aos pedestres. Paris está se preparando ferozmente para uma emergência que, de acordo com a prefeita, já está aqui. 

O verão escaldante arrancou os parisienses das ruas e transformou a cidade em uma distopia sinistra do que pode acontecer. O calor brutal acabou com as dúvidas, se ainda restava alguma, da prefeita Anne Hildalgo: a mudança já começou.

Atualmente, Paris é um gigante campo de obras. Até o fim do verão mais de 8000 projetos, a maioria privados, mas todos aprovados pela cidade, foram iniciados, com praças históricas como Madeleine, Bastille e Nation transformadas para tornarem-se mais amigáveis para os pedestres. 

Crateras feias no asfalto indicam trabalho na rede elétrica, no sistema de aquecimento para grandes prédios, o metrô e transporte regional, e claro, as protegidas ciclovias da cidade. 

Os resultados ambientais ainda são ambíguos. Foram 5 dias com níveis elevados de ozônio em 2014, por exemplo; em 2018 foram entre 15 e 22, dependendo da parte da cidade que você estiver. “São menos carros, mas maiores congestionamentos, e isso afeta os níveis de poluição,” diz Paul Lecroart, um especialista em planejamento urbano da agencia regional de planejamento da cidade. 

Fonte: https://www.nytimes.com/2019/10/05/world/europe/paris-anne-hildago-green-city-climate-change.html?rref=collection%2Fsectioncollection%2Fclimate