Blog

Minha propriedade pode gerar créditos de carbono?

Se você tem uma propriedade com uma área de natureza conservada e deseja compreender se ela pode gerar créditos de carbono, não deixe de conferir as perguntas e respostas que preparamos a seguir.

Os créditos de carbono são aliados dos produtores rurais ao tornar suas propriedades sustentáveis, na medida em que conservam matas nativas. Caso a propriedade atenda aos requisitos a seguir, os créditos podem ser vendidos no mercado de carbono internacional. São os chamados projetos de REDD, ou Redução das Emissões provenientes de Desmatamento e Degradação Florestal.

Quais são os quatro requisitos básicos para a minha propriedade gerar créditos de carbono por meio da conservação florestal?

São: cobertura florestal, localização, taxa de desmatamento, documentação em dia.

Saiba mais sobre cada um a seguir.

Qual deve ser o tamanho da minha propriedade para gerar créditos de carbono?

De uma maneira geral, propriedades com áreas acima de 10 mil hectares têm maior possibilidade de serem viáveis para geração de créditos de carbono, mesmo se o tamanho da propriedade não é o único fundamento para os estudos ambientais.

Em qual localização minha propriedade tem mais chances de gerar créditos de carbono?

A Amazônia e o Cerrado são as áreas mais propícias para geração de créditos de carbono por meio da conservação florestal. Por isso, é importante que você saiba as coordenadas geográficas da sua área ao buscar por um estudo ambiental.

No entanto, não é apenas a localização que importa. Um dos principais requisitos para os créditos é o cálculo da taxa de desmatamento. Veja a seguir.

O que é a taxa de desmatamento e por que ela é importante para a minha propriedade gerar créditos de carbono?

Após verificar a localização da propriedade, seguimos para o cálculo da taxa de desmatamento. É uma taxa média, por ano, baseada nos índices de desmatamento históricos na região. 

É ela que vai informar o risco de que a área venha a ser desmatada e quais os esforços necessários para a sua manutenção.  

Uma área gigantesca, por exemplo, dependendo de onde se localiza, pode não ser um projeto viável se estiver em uma região que já tenha muitas áreas de proteção como Unidades de Conservação e terras indígenas, ou que seja isolada e não tenha muita procura por madeireiras ou pela agropecuária. Por outro lado, uma área menor, localizada próxima à uma hidrelétrica, por exemplo, ou com muita demanda para abertura de pastagens, pode gerar muito mais créditos de carbono. 

Áreas no arco do desmatamento ou próximas à hidrelétricas são as mais interessantes, pois geram mais créditos.

Se a minha área possui manejo florestal sustentável, posso gerar créditos de carbono?

Nesses casos, você precisa fornecer mais informações quanto ao ano de início da exploração, área de manejo, intensidade de corte e ciclo de corte. As informações do manejo, se aplicável à área, são importantes também para definir a estimativa de geração de créditos.

Se a minha área está em alguma Unidade de Conservação (parque, reserva, etc), posso gerar créditos de carbono?

Depende, a área precisa ter titularidade comprovada. O que acontece muitas vezes é que áreas em Unidades de Conservação não possuem clara titularidade (se está em nome do proprietário ou do governo), e se já foram desapropriadas. Se isso acontecer, não é possível comprovar a titularidade dos créditos.

Quais outros requisitos são importantes para a minha propriedade gerar créditos de carbono?

É importante que a propriedade tenha a documentação em dia para determinar a titularidade dos créditos e a regularidade com a legislação.

E é necessário que você também possua o georreferenciamento da propriedade para o desenvolvimento do projeto.

 

Se a sua área atende aos requisitos apresentados aqui, entre em contato com a Sustainable Carbon!