Blog

9 empresas com metas ousadas para zerar ou neutralizar suas emissões de carbono

Uma pesquisa recente da Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA) afirmou: o abismo entre o crescimento das nações mais ricas em relação aos países mais pobres poderia ser 25% menor, no último século, se não tivéssemos o aquecimento global.

O mesmo déficit acometeu o Brasil: poderíamos ter crescido 25% a mais se não fossem as consequências das mudanças climáticas.

Ou seja, uma economia mais próspera está intrinsecamente relacionada com o desenvolvimento sustentável do nosso planeta.

Atentas a esse novo cenário, algumas das maiores indústrias do planeta já anunciaram suas contribuições por uma economia de baixo carbono nas próximas décadas. Algumas mais ambiciosas, pretendem zerar as emissões de carbono até 2030. Outras, planejam a meta para até 2050.

Ver o comprometimento de multinacionais como Microsoft, Apple, Unilever, Nike, dentre outras, certamente é um incentivo gigantesco para que demais organizações valorizem a sustentabilidade como um ativo financeiro, e não apenas ambiental, em suas estratégias.

 

Empresas rumo a um futuro produtivo mais sustentável

 

Microsoft

No início de 2020, a Microsoft anunciou uma das metas de sustentabilidade mais ousadas de todas: ser negativa em carbono até 2030 e remover do ambiente todo o carbono que a empresa emitiu diretamente ou por consumo elétrico desde que foi fundada em 1975.

Dentre algumas das ações, a empresa pretende mudar o fornecimento de energia para contratos com fontes 100% renováveis para o consumo de seus data centers, prédios e campus, até 2025. Até 2030, a empresa se comprometeu em substituir toda a frota global de veículos operacionais por elétricos.

 

Apple

Outra empresa ousada em suas metas é a Apple: pretende zerar as emissões de carbono de toda a cadeia produtiva até 2030. Na verdade, a empresa já é carbono neutro em suas operações corporativas internacionais, mas agora quer levar o projeto para suas fábricas e redes de parceiros.

Uma outra ação prevista é produzir seus dispositivos com zero impacto ambiental e climático até 2030. A Apple inclusive criou o seu próprio robô que desmonta iPhones para recuperar materiais magnéticos escassos, reaproveitando-os em novos celulares. Já em 2019, todos os seus dispositivos foram fabricados com material reciclável e a companhia estima que sua pegada de carbono tenha sido reduzida em 4,3 milhões de toneladas no último ano.

 

AP Moller-Maersk

A empresa quer produzir navios com zero emissão de carbono e comercialmente viáveis até 2030 e até 2050 bater a meta de ser uma empresa completamente carbono zero. Na última década, a Maersk já reduziu suas emissões em cerca de 46%, cerca de 9% a mais do que a média do setor.

 

Danone

A Danone também figura na lista das empresas que pretendem ser mais sustentáveis. A companhia já implementou o projeto Triple Zero que tem três vertentes principais para reduzir e compensar emissões: diminuir o consumo de água, utilizar 100% de fontes de energia renovável e zerar o impacto com resíduos destinados a aterros.

 

Unilever

A empresa também tem a intenção de modificar o seu processo produtivo de extrair-produzir-descartar para reduzir-reutilizar-reciclar. Com isso, a Unilever deseja trabalhar para substituir todo o carbono derivado de combustíveis fósseis nas fórmulas dos produtos de limpeza e de lavanderia por carbono renovável ou reciclado até 2030.

A meta de emissões líquidas zero da empresa está fixada em 2039.

 

Natura

A Natura com certeza é a empresa brasileira mais reconhecida por suas iniciativas sustentáveis. Desde 2007 já começou a colocar em prática o Programa Carbono Neutro com o intuito de contabilizar, reduzir e neutralizar as emissões de GEEs. Agora, assinou o compromisso de ser carbono zero até 2050, junto com outras organizações. Uma das ações importantes da empresa foi atrelar o indicador de emissões à Participação de Lucros e Resultados (PLR) da empresa.

 

Mercedes-Benz

A fabricante de veículos Daimler, dona da Mercedes-Benz, também já apontou que está no caminho de ser carbono neutro. A iniciativa inclui a produção de carros, vans, ônibus e caminhões elétricos ou híbridos, do tipo plug-in. A Daimler também pretende contratar energia 100% renovável para o funcionamento das suas fábricas.

 

Nike

Chamada de Move to Zero, a iniciativa da Nike de ser carbono zero passa pela produção de peças de vestuário sustentáveis. Isso já foi feito, recentemente, com o tênis Space Hippie e agora com uma coleção inteira de roupas produzidas com material sustentável e reciclado. Até os zíperes e cordões das peças são feitos a partir da sobra da produção de tênis, o que une as duas pontas da cadeia produtiva em um exemplo de economia circular.

 

Braskem

Para alcançar a meta de ser carbono neutro até 2050, a companhia pretende: diminuir em 15% as emissões de gases de efeito estufa até 2030, incluir 300 mil toneladas de resinas termoplásticas e produtos químicos com conteúdo reciclado até 2025 e descartar adequadamente cerca de 1,5 milhão de toneladas de resíduos plásticos também até 2030. 

 

Se você também deseja incluir a sua empresa nesse ciclo de sustentabilidade, entre em contato com a Sustainable Carbon. Somos pioneiros no mercado voluntário de créditos de carbono no Brasil e desenvolvemos estudos completos para redução de emissões corporativas.