Blog

Consumidor valoriza empresa que compensa emissão de gases poluentes

19/06/2015
img_MATÉRIA

 

86% têm interesse em adquirir bens de consumo que tenham suas emissões compensadas com crédito de carbono, mesmo que seja mais caro

A compensação das emissões de gases poluentes por uma empresa gera ganhos para a sua imagem, ligando-a ao fato de ser preocupada com o meio ambiente e com a sociedade. É assim que ela será vista por 73% dos entrevistados de uma pesquisa da Ecológica ID, empresa da área de sustentabilidade e meio ambiente, que acham que a compensação ambiental com créditos de carbono melhora a imagem de uma empresa.

A ideia de comprar bens de consumo, bens duráveis e imóveis de companhias que façam compensação financeira sobre a emissão de dióxido de carbono tem apelo significativo. Na compra de bens duráveis, como geladeira, fogão e micro-ondas, 87% dizem ter interesse em adquirir um produto que tenha suas emissões compensadas com crédito de carbono, mesmo que um valor seja acrescido ao preço final. O interesse permanece praticamente o mesmo (86%) para a aquisição de bens de consumo, como bebidas e alimentos. Já na compra de imóveis, o interesse continua alto: 77%.

Entretanto, para esse apelo se converter em negócios é necessária uma comunicação dirigida que, em primeiro lugar, explique melhor como funciona o negócio de créditos de carbono para a população. De acordo com a pesquisa, após a apresentação de um texto explicando o conceito, 8% dos entrevistados dizem conhecer muito sobre a geração de créditos de carbono, 40% conhecem mais ou menos, 34% conhecem pouco e 17% não conhecem.

De acordo com Stefano Merlin, CEO da Sustainable Carbon, empresa líder na América Latina na geração de créditos de carbono no mercado voluntário, “a pesquisa vem de encontro com o que a gente vem observando, as pessoas estão dispostas a pagar por um produto que não gera impactos ambientais negativos. Isso mostra que elas reconhecem que o problema das mudanças climáticas existe, e também que elas fazem parte da solução”.

Apesar do pouco conhecimento sobre créditos de carbono, o apelo ambiental é levado em conta por uma parcela considerável dos consumidores: 42% estão dispostos a pagar mais caro por um produto ambientalmente correto. Por outro lado, 46% dizem que pagariam mais dependendo do quão mais caro o produto for e 10% não estão dispostos a desembolsar mais dinheiro por um produto ecologicamente correto. Para a compra de imóveis, as percepções são praticamente as mesmas: 46% pagariam mais dependendo do preço, 43% estão dispostos a pagar mais e 8% não pagariam.

Sobre a pesquisa
A pesquisa foi realizada entre os dias 23 de fevereiro e 6 de março de 2015, com 502 internautas de todas as regiões do país. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

Fonte: Ecológica ID