Ministro norueguês do meio ambiente ameaça suspender Fundo Amazônia

Na última semana, nosso Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, recebeu uma carta nada agradável do seu colega ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen.

Helgesen não foi muito cordial ao questionar a continuidade do investimento norueguês para o Fundo Amazônia, mediante as altas taxas de desmatamento e discussões no Governo sobre medidas provisórias e projetos de lei que ameaçam a preservação da Floresta Amazônica.

O ministro norueguês destacou que a escalada do desmatamento, que chegou a 29% de aumento entre 2015 e 2016 de acordo com o INPE, é uma “tendência preocupante”. Disse ainda na carta que teme que os bilhões doados pela Noruega e pela Alemanha ao Brasil para conter o desmatamento tenham tido um impacto apenas temporário.

A carta chegou pouco antes do presidente Michel Temer embarcar para sua primeira visita a Oslo, que aconteceu nesta semana, justamente para discutir o Fundo Amazônia. Ao menos uma boa notícia Temer levou para a Noruega. Pressionado por todos os lados, ele vetou as MPs que previam mais desmatamento no norte do País.

O Fundo Amazônia

O Fundo Amazônia foi criado para captar doações para investimentos não-reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, e de promoção da conservação e do uso sustentável da Amazônia Legal.

O Brasil, no entanto, só pode acessar as verbas do fundo se constatar resultados, ou seja, se fizer a taxa de desmatamento cair.

Atualmente, o Fundo Amazônia banca iniciativas que vão desde a capacitação ambiental de comunidades indígenas a monitoramento por satélite e uma boa parte é destinada ao Ibama, para fins de conservação da Amazônia. Uma suspensão desse fundo pode ter consequências graves para o País.