Blog

PIB cai e emissões de GEEs sobem no Brasil

10/02/2017

 

Já falamos por aqui das políticas de baixo carbono dos Estados Unidos, mesmo com o Trump querendo colocar tudo a perder, e da China. Agora queremos falar do nosso próprio quintal.

Enquanto as fontes de energia limpa crescem, ficam mais baratas e geram empregos nos Estados Unidos e os chineses prometem investimentos bilionários para transitar para uma economia de baixo carbono, o Brasil patina para cumprir com o Acordo de Paris.

Enquanto nas outras economias se vê um descolamento das emissões de gases de efeito estufa com o PIB do país, ou seja, mesmo que o país cresça, as emissões diminuem, por aqui, o Brasil entra em recessão e as emissões aumentam. Dados do Sistema de Estimativa de Emissão de Gases de Efeito Estufa (SEEG), comprovam que as emissões do País cresceram 3,5% enquanto o PIB caiu 3,8% em 2015.

Desmatamento

A principal causa desse dado alarmante está no desmatamento desenfreado da Amazônia, que após anos de queda, cresceu 24% nesse ano em relação a 2014.

Para se ter uma ideia, as emissões do País estão no mesmo ponto em que estavam em 2010. Para alcançarmos a meta de redução de 36,1% a 38,9% até 2020, precisaríamos reduzir o desmatamento pela metade, ao invés de ver os números crescerem.

Energia

De todos os setores – agropecuária, indústria e resíduos – o setor de energia foi o único que apresentou queda de 5,3% nas emissões, devido à recessão e ao crescimento de energias renováveis.

No infográfico, consolidamos alguns dados do relatório da SEEG de 2015 para que vocês possam compartilhar e conscientizar a sociedade sobre a nossa posição com relação às mudanças climáticas. E também para cobrar das nossas autoridades uma mudança de postura para que voltemos a crescer na economia e na sustentabilidade.

 

Até a próxima.