Blog

Mudanças climáticas: quais os riscos para minha empresa?

10/09/2015

blogpost_tit

Quando o assunto são as mudanças climáticas e o aquecimento global, fica difícil definir um limite para suas consequências. A medição de até que ponto você é afetado é uma missão trabalhosa. Mas afinal, até que ponto as mudanças climáticas afetam minha empresa?

A CNI define quatro vertentes de riscos associados às mudanças climáticas: risco regulatório, risco físico, risco reputacional e risco financeiro.

Riscos Regulatórios

Corespondem aos impactos gerados por novas regulamentações. As pressões sociais e governamentais geram cada vez mais regulações climáticas sobre operações de empreendimentos, incluindo leis e decretos federais. Em alguns casos, existem penas e multas para o não cumprimento dessas novas leis.

Dessa forma, é necessário que as empresas estejam preparadas para atuais e futuras regulamentações. A gestão de carbono, por exemplo, está intimamente relacionada com a gestão ambiental. Uma boa prática de ambas gera vantagens positivas em relação as legislações vigentes. A redução de seus impactos ambientais, bem como a antecipação à investimentos como compensação de carbono são práticas que auxiliam empreendimentos a se protegerem dessas regulamentações.

Riscos Físicos

Os impactos físicos decorrentes do aquecimento global são facilmente notáveis: elevação da temperatura, mudanças climáticas, maiores ocorrências de eventos extremos, como furacões, terremotos, tempestades, dentre outros.

Já é de se esperar que esses eventos impactem diretamente no comportamento do mercado. Os extremos climáticos influenciam plantações, que por sua vez são matéria-prima de grande parte das indústrias, por exemplo. O fornecimento de água e energia sofrerão mudanças significativas no próximo ano. Além disso, o risco social envolvido também é grande. A população afetada pelos efeitos consome menos, causando maior desequilíbrio econômico.

Riscos Reputacionais

Com o aumento da pressão por regulações e diminuição do impacto ambiental gerado por empresas, cresce também a atenção dos consumidores e outros stakeholders para as ações sustentáveis das companhias.

A importância de um plano de gestão sustentável incorporada à estratégia corporativa é cada vez maior, influenciando inclusive acionistas e investidores, que buscam atingir em seus investimentos empreendimentos sustentáveis.

De um modo geral, a gestão sustentável se relaciona cada vez mais com as vantagens competitivas de uma empresa. Nesse caso, o posicionamento diante das mudanças climáticas e relatórios transparentes que informam o que está sendo feito pela empresa são fundamentais para a avaliação do consumidor e stakeholders.

Assim, a competitividade do mercado se torna cada vez maior, e um plano de ações climáticas é fundamental para a diferenciação de sua empresa de seus concorrentes.

Riscos Financeiros

Para concluir, os riscos financeiros estão totalmente ligados com os riscos citados anteriormente. A obrigatoriedade legal, a instabilidade no mercado gerada por eventos climáticos e alta concorrência no mercado, que pode ocasionar uma perda considerável de clientes se traduzem cada vez mais em custos adicionais ou perdas financeiras para as empresas.

Desse modo, é importante para todos os setores estarem preparados. As mudanças climáticas afetam cada vez mais o mercado, e o risco é alto.