Blog

Estamos próximos de um apocalipse carbônico?

20/04/2017

Um recente estudo de um trio de cientistas americanos e britânicos sugere que a queima de todas as reservas de combustíveis fósseis que ainda restam no planeta pode elevar drasticamente os níveis de CO2 para volumes sem precedentes, ou ao menos desde o surgimento das florestas, quase meio bilhão de anos atrás.

As projeções são preocupantes. No cenário atual, a concentração de CO2 está em 403 ppm. No meio deste século, em um cenário mais pessimista, ela pode chegar a 1000 ppm, maior valor em 50 milhões de anos. No fim do século 23, essa concentração pode atingir 5000 ppm. Em 420 milhões de anos, esse dado nunca ultrapassou 3.000 ppm e a última vez que isso aconteceu foi quando surgiram os dinossauros.

O trio de cientistas compilou 1.500 estimativas de concentrações de CO2 publicadas em 112 estudos. Eles buscaram compreender as variações de temperatura na Terra durante esse período, avaliando também como a expansão das florestas e a dissolução das rochas impediu um aumento do efeito estufa ainda mais desordenado.

Muito provavelmente essa concentração de CO2 causaria um aumento de temperatura na Terra que seria incompatível com grande parte dos seres vivos, como nós, que não suportamos temperaturas superiores a 50ºC.

Nossa contribuição

A Sustainable Carbon já reduziu 16 milhões de toneladas de dióxido de carbono da atmosfera e vendeu mais de 5 milhões de créditos de carbono o que representa uma fatia notável de recursos financeiros que são revertidos em investimentos para o desenvolvimento de comunidades brasileiras, e claro, na mitigação dos efeitos das mudanças climáticas.

Buscamos fazer a nossa parte para que essas projeções catastróficas não se concretizem. No Nordeste do Brasil, por exemplo, nossos projetos com biomassa renovável substituem o uso de combustíveis fósseis. São cerca de 13, revigorando comunidades e preservando 3 biomas brasileiros.

Conheça nossos projetos.

 

* Com informações do Observatório do Clima